Português (Europeu)English (UK)

A Associação Transumância e Natureza

A ATN    EQUIPA    ORGÃOS SOCIAIS    HISTÓRIA

A Associação Transumância e Natureza (ATN) é uma organização não gevernamental de ambiente e sem fins lucrativos, criada em 2000, em Figueira de Castelo Rodrigo, distrito da Guarda.
O nome desta associação deriva da fundação internacional que lhe deu origem (Transhumance and Nature Foundation), servindo para fazer menção à extinta actividade da transumância - prática ancestral de condução dos rebanhos ao longo percursos de grande distância, que permitia aproveitar pastagens a diferentes altitudes e em diferentes alturas do ano, resultando na diversificação do coberto vegetal e a manutenção do bom estado das pastagens.

A ATN foi criada a 6 de Junho de 2000 (Diário da República III Série, de 25 de Julho de 2000, pág. 15886), e tem sede em Figueira de Castelo Rodrigo (Guarda, Portugal). Proprietária de cerca de 800 hectares de propriedades no Vale do Côa, a ATN é a entidade gestora da Reserva da Faia Brava, a primeira área protegida privada do país, localizada no interior da ZPE do Vale do Côa (Natura 2000) e do Parque Arqueológico do Vale do Côa (Património da Humanidade UNESCO). A ATN é proprietária e gere outras reservas no Nordeste de Portugal e é o parceiro local português da iniciativa Rewilding Europe.

Missão
Conservar, valorizar, conhecer e divulgar o património natural do Nordeste de Portugal, pela via da sustentabilidade e com a participação da comunidade, através da gestão e da protecção de áreas naturais.
Os projectos implementados pela ATN destinam-se exclusivamente à conservação de habitats e espécies mais característicos e ameaçados da região do Nordeste e têm incidido em propriedades rurais situadas em zonas de elevada importância ecológica.

Visão
Criar espaços para a natureza.


Vectores estratégicos

  • Alcançar a conservação de espécies e habitats em áreas naturais.
  • Garantir a sustentação económica/rentabilidade dos projectos de conservação da natureza.
  • Contribuir para o dinamismo económico e social da região.

Actividades principais
  • gestão de áreas naturais
  • restauro ecológico
  • processos de renaturalização
  • estudos e monitorização de biodiversidade
  • educação e sensibilização ambiental
  • apoio à elaboração e implementação de projectos ambientais de desenvolvimento rural (agrícolas, pecuários, florestais e cinegéticos) compatíveis com a conservação da natureza;
  • apoio técnico nas áreas de produção e protecção florestal sustentável;
  • valorização, recuperação e promoção de património cultural, arquitectónico e arqueológico da região.